domingo, dezembro 23, 2012

Feliz ano de 2013!


- Temos que fechar as portas deste ano!- Diz o duende do tempo.

- Sacudamos todo o pó dos tapetes dos caminhos; guardemos todos os gestos de amor na mala do coração estes levemos na viagem – ressalta a mãe amizade - vamos necessitá-los!

- Vou guardar na cristaleira todas as promessas feitas, para que não se quebrem e para que brilhem sempre em nossa memória. – fala o compromisso.

- Coloquem na mala de mão todos os aprendizados novos, assim poderemos usar numa situação nova- comenta a aprendizagem.

Ah! Os erros cometidos cataloguem no guia de viagem para não serem repetidos- diz o destino.

- Hora de partir – diz a vida - hoje termina mais uma etapa, amanhã começa um momento novo. Aliás, a cada segundo temos um recomeço, lembrem sempre o melhor momento é o agora. Do ontem trazemos experiências, para o amanhã levamos projetos, esperanças e sonhos e no hoje usamos as ferramentas que no ontem conseguimos construir.

- Felicidades! - diz o ano ao fechar a porta de seu tempo.

quinta-feira, novembro 22, 2012

Corpo



Um corpo são traços,
são marcas vividas
memórias sentidas...
Cresce e se estira,
mata ou dá vida...

Um corpo são marcas
de tempos de outrora
de dores e beijos,
de gritos, desejos,
romance que inspira...

Um corpo é memória,
que narra a história
de quem o possui.
E leva na vida
o tudo vivido
ou nada que foi.

IsiCaruso
20/11/06

sexta-feira, novembro 16, 2012

quinta-feira, novembro 08, 2012

Miniconto


Zé da Banguela


Vive em ponto morto.
Nunca soube que rumo tomar.
Decidiu ser caminhoneiro, assim já tem os caminhos traçados.

 

quinta-feira, outubro 25, 2012

terça-feira, setembro 25, 2012

Eu escritor



Uma página meu desafio.
As frases meu universo.
Cato as palavras, esquartejo-as, corto.
Interrompo uma frase no meio mas, num corte não aleatório.
Enfio o dedo no buraco da frase e viro-a do avesso,reviro-as uma por uma, lanço luz sobre elas.
O outro lado será possível,depois dos primeiros avessamentos?
Agarro-me às palavras, mas elas escorregam pelos vãos; as repetidas, as falhadas,
as engraçadas enfim, todas.
Vai a primeira desvirada, depois outra,outra mais... enfim dezenas.
- Tem frase atravessada na memória...
Estarão gastas as palavras?
Fica um ponto de interrogação.
Não só numa frase, mas no emaranhado delas.
São muitos os emaranhados, pedirei palavras emprestadas, reescreverei a história.

IsiCaruso
24/09/12

Texto inspirado em:http://www.costurandopalavras.com.br/2012/09/sobre-tecnica-da-psicanalise.html#links

segunda-feira, agosto 13, 2012

Atemporal




Andava sempre adiante de seu tempo.
Olhava atrás de si e via que as coisas recém começavam a acontecer quando já voltava com novas ideias, porém morreu na contramão atropelada pelo relógio.

IsiCaruso

quarta-feira, julho 18, 2012

sábado, abril 28, 2012

cadeira balançadeira


Uma vovó na cadeira
tece, fia, borda e caseia ,
balança-se de noite e de dia,
suspira da manhã ao meio-dia!
Ai pobre cadeira balançadeira.